quarta-feira, 12 de outubro de 2016

RIOPREVIDÊNCIA QUER GASTAR R$ 5,1 MILHÕES COM SEGURANÇAS - TCE SUSPENDE PREGÃO

FALIDO - SISTEMA DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO FALIU DIANTE DA MÁ GESTÃO, MAS PARECE QUE NÃO ENTENDERAM QUE É PRECISO "ECONOMIZAR".


A matéria é da Agência Brasil
TCE-RJ adia licitação da Rioprevidência e pede esclarecimentos
11/10/2016 

O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) decidiu hoje (11) adiar o pregão eletrônico do Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro (Rioprevidência), que seria na próxima segunda-feira (17) até que o diretor-presidente do fundo, Reges Moisés dos Santos, dê mais informações sobre o processo licitatório. O pregão eletrônico foi aberto para contratação de vigilância armada e desarmada nas instalações da Rioprevidência.

A decisão do TCE-RJ foi tomada após os conselheiros, em sessão plenária, seguirem o voto do conselheiro relator José Maurício Nolasco. O Tribunal também requisitou que a Rioprevidência providencie uma pesquisa ampliada de mercado para reduzir o custo da contratação do serviço, avaliado em R$ 5,31 milhões.

O tribunal considerou o preço acima dos limites considerados aceitáveis, uma vez que dispõe de dados em que a prestação de serviços semelhantes pode ser feito pela metade do valor estimado no edital do Rioprevidência. De acordo com o TCE-RJ há casos de contratação no valor de R$ 2,58 milhões e de R$ 2,22 milhões. O TCE-RJ pediu ainda informações sobre os números do CNPJ de todas as empresas que fizeram cotação.

O Rioprevidência informou que vai prestar todas as informações solicitadas pelo TCE, o quanto antes, no que se refere ao pregão eletrônico para contratação de segurança. A autarquia informou que o valor se refere a 21 postos de segurança, entre diurnos e noturnos, e o Tribunal só levou em consideração 11 postos diurnos e, por isso, obteve valores inferiores na prestação do serviço. Os postos noturnos, segundo o órgão, têm serviços com valores mais elevados.

Rio de Janeiro
Cristina Indio do Brasil - Repórter da Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário