domingo, 26 de fevereiro de 2017

CARNAVAL E OPERAÇÃO LEI SECA - BLITZ DURANTE TODO O FERIADÃO NO RIO DE JANEIRO


Eesquema especial de carnaval terá 250 agentes e serão realizadas 65 blitz, segundo informações do governo do estado
25/02/2017
AGÊNCIA BRASIL

Rio - A Operação Lei Seca no Rio de Janeiro será intensificada no carnaval, com fiscalização nas ruas e campanha para conscientizar os foliões do risco de dirigir embriagado. 

O esquema especial de carnaval terá 250 agentes e serão realizadas 65 blitz, segundo informações do governo do estado.

Para as ações educativas, a operação escolheu blocos com maior concentração de pessoas, como o Carmelitas, a Banda de Ipanema, o Cordão da Bola Preta, o Bloco da Favorita, o Carrossel de Emoções, o Simpatia é Quase Amor, o Loucura Suburbana e o Sargento Pimenta.

Em ação da manhã deste sábado, os agentes da Lei Seca distribuíram ventarolas e adesivos com alertas sobre a importância de se voltar para casa com segurança no bloco Cobra Sarada, que se concentrou no Parque Guinle, em Laranjeiras.

ATENÇÃO ! INGESTÃO DE BEBIDA ALCOÓLICA E DIREÇÃO DE VEÍCULOS SÃO INCOMPATÍVEIS.

sábado, 25 de fevereiro de 2017

CARNAVAL DE INSEGURANÇA - MENOS 3.000 PMS NO POLICIAMENTO DAS RUAS DO RIO DE JANEIRO


PORTA-VOZ DA PM TENTA PASSAR MENSAGEM DE QUE, COM ÍNDICES CRESCENTES DE VIOLÊNCIA E CRIMINALIDADE, APESAR DA REDUÇÃO BRUTAL DO EFETIVO, OS CIDADÃOS DO RIO E OS TURISTAS TERÃO MAIS SEGURANÇA.

24/02/2017 
Rio de Janeiro
Isabela Vieira – Repórter da Agência Brasil

O esquema de segurança para o carnaval deste ano terá 3 mil policiais militares a menos, de acordo com a Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMRJ). Sem recursos para pagar horas extras, atrasadas desde agosto de 2016, a corporação contará com 12 mil PMs durante os festejos, que vão até terça-feira (28), oficialmente. Com a retirada das forças do Exército do Rio nesta semana, a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – Seção Rio de Janeiro (Abhi-RJ) reclamou da sensação de insegurança e enviou uma carta ao Ministério da Defesa na quarta-feira (22).

Segundo o porta-voz da Polícia Militar, major Ivan Blaz, o número menor de agentes nas ruas reflete uma redução das festividades, também por causa da crise. Braz disse, no entanto, que o patrulhamento será mais eficiente.

“Nossa tropa tem sido empregada rotineiramente em grandes eventos, desde a Olimpíada, e isso desgastou muito. Teremos agora o carnaval, colocaremos nossos homens e mulheres nas ruas, garantiremos a segurança, mas não podemos saturar o estado do Rio porque nossa tropa está cansada física e mentalmente”, disse.

Hoje, às vésperas da abertura oficial do carnaval, o governo do estado começou a pagar as horas extras atrasadas. Os policiais, no entanto, ainda não receberam o 13º salário do ano passado. “Estamos lidando com economia de esforços”, afirmou o major, justificando a redução no efetivo.

A corporação colocará homens e mulheres em áreas consideradas estratégicas, para conter principalmente furtos e roubos, que são as ocorrências mais frequentes.

Uma parte da operação será coordenada do Centro Integrado de Comando Móvel, baseado no Sambódromo, e que receberá imagens em tempo real das praias da zona sul e da Barra da Tijuca, na zona oeste. 

Nos arredores do Sambódromo e do Terreirão do Samba, no centro, o policiamento será feito por cerca de 700 PMs, a pé, nos locais de concentração de foliões, incluindo os blocos de rua.

Para evitar ser vítima de roubos e furtos durante a folia, a orientação é evitar a distração. 

“Se for atender o celular no meio da multidão, observe o entorno, tente procurar um local estático, fique com as costas perto de uma parede, por exemplo, vá com mais alguém. No caso de dinheiro, não leve carteira, distribua o dinheiro por vários bolsos e leve apenas um documento, evite volumes”, recomendou o major. “Crianças devem estar identificadas.”

Com a greve da Polícia Civil, os policiais militares também foram orientados a preencher o boletim de ocorrência da Polícia Militar, no lugar do documento feito nas delegacias, no caso de crimes de menor potencial ofensivo. O documento permite às vítimas acionar seguradoras, no caso de furto de veículos, ou solicitar novo chip, no caso de celulares roubados.

Durante o carnaval, a polícia também estará atenta a casos de violência contra a mulher e a exploração sexual de crianças e adolescentes. Para fazer denúncias, a recomendação é ligar para o serviço gratuito Disque 100. 

A Guarda Municipal também atuará na defesa dos menores de idade. Ao todo, cerca de 7 mil guardas estarão nas ruas da capital fluminense.

Edição: Lílian Beraldo

domingo, 19 de fevereiro de 2017

ASSALTO NA SEDE DA PREFEITURA DO RIO - LADRÕES ARROMBAM CAIXAS ELETRÔNICOS EM PLENA TARDE DE DOMINGO

VIROU MESMO A MAIS COMPLETA BAGUNÇA


Ao menos sete criminosos renderam na tarde de hoje os "SEGURANÇAS" do Centro Administrativo São Sebastião (Sede da Prefeitura do Rio de Janeiro, na Cidade Nova, no Centro da Cidade), e em seguida foram até os CAIXAS ELETRÔNICOS no primeiro andar, arrombaram com uso de maçarico e levaram todo o dinheiro, cuja quantia ainda não se sabe qual foi.

Em seguida fugiram do local sem ser importunados.

Os funcionários e seguranças nada sofreram.

O caso foi registrado e a investigação inicial está por conta da 6ª DP. 

GOVERNO FEDERAL JÁ COGITA APOIAR IMPEACHMENT DE GOVERNADOR PEZÃO E SEU VICE DORNELLES

SERIA A SAÍDA PARA NÃO TER QUE INTERVIR NO ESTADO COMPLETAMENTE FALIDO E DESGOVERNADO.


Os pedidos de INTERVENÇÃO FEDERAL no Estado do Rio de Janeiro tem aumento de número, e agora com políticos de peso em Brasília, cobrando ação nesse sentido, pois foram todos aliados do governador Pezão. HUGO NAPOLEÃO E AROLDE DE OLIVEIRA, velhos conhecidos e integrantes da politicagem no Estado do Rio de Janeiro, pediram em discurso na Câmara dos Deputados, a cabeça de Pezão e Dornelles.

A situação do Estado é catastrófica, vai se agravando a cada dia, com reflexos na área de SEGURANÇA PÚBLICA, SAÚDE e no ambiente de NEGÓCIOS. 

Diversos empresários tem ido até BRASÍLIA avisar que se o clima de ORDEM e SEGURANÇA não for restabelecido com URGÊNCIA, eles vão deixar o ESTADO, ou paralisar suas atividades aqui. 

UM IMPORTANTE SINDICATO PATRONAL NA ÁREA DE TRANSPORTE DE CARGAS, sinalizou que não é mais possível conviver com o ROUBO DE MERCADORIAS e ATAQUES AOS CAMINHÕES. ÁREAS COMO O CHAPADÃO, a VIA DUTRA, TRECHOS DA LINHA VERMELHA e RODOVIA RIO-PETRÓPOLIS são considerados como de GRANDE RISCO. 

Há uma determinação para que na medida do possível os caminhoneiros evitem essas áreas principalmente à noite e finais de semana. QUANTO AO ARCO METROPOLITANO a ordem é NÃO PASSAR POR ALI HORA NENHUMA.

ENTREGA DE ELETRODOMÉSTICOS E CORREIOS ESTÃO PROIBIDAS EM CERTAS ÁREAS DA CIDADE DO RIO.

Os empresários dizem que a mercadoria é ROUBADA e poucas horas depois está sendo vendida nas ruas.  

CIGARROS, BISCOITOS, SUCOS, REFRIGERANTES, ELETROELETRÔNICOS, ÓCULOS...tudo vai para as mãos dos receptadores que distribuem para os camelôs, que "trabalham" lado a lado com os que vendem produtos que não são roubados.

AUMENTOU MUITO A PRESSÃO, E NÃO SÃO POUCOS OS MOTIVOS PARA QUE A INTERVENÇÃO OCORRA, porém o governo federal não quer aceitar isso como saída, pois com intervenção no ESTADO DO RIO  teria que parar de tocar a reforma da previdência e trabalhista.

CRESCEU, então, a opção por dar início a um PROCESSO DE IMPEACHMENT de PEZÃO, com PICCIANI assumindo de forma interina e convocando eleições. A QUESTÃO É, o PMDB sabe que está QUEIMADO, que vai se QUEIMAR ainda mais quando sair o conteúdo da delação da ODEBRECHT, E QUE SEJA COMO FOR ESSE PROCESSO ELEITORAL, ele perderá o governo do Rio de Janeiro.

É GRAVE A CRISE, DE DIFÍCIL SOLUÇÃO, MAS A VIDA E A SEGURANÇA DOS CIDADÃOS DO RIO DE JANEIRO ESTÃO SOB SÉRIA E CRESCENTE AMEAÇA.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

SÉRGIO CABRAL PODE SER ALVO DE NOVA DELAÇÃO - UM BILHÃO ESCONDIDOS NO EXTERIOR


A força-tarefa da Lava Jato no Rio negocia, em estágio avançado, uma nova delação premiada que revelaria detalhes de supostos envios de propinas ao exterior para o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB). Segundo fontes próximas às investigações, o doleiro Vinicius Claret, conhecido como Juca Bala, está em tratativas para assinar o acordo de delação premiada.

A colaboração avança sobre repasses no exterior, que integrantes do Ministério Público Federal (MPF) acreditam que podem chegar a R$ 1 bilhão.

Em outra ponta, os procuradores têm progredido nas apurações sobre fraude em licitações no Estado do Rio que podem atingir o ex-secretário estadual da Saúde Sérgio Cortes. O MPF suspeita da existência de irregularidades na conquista de licitações na área da Saúde.

Cortes acompanhou Cabral na viagem a Paris, em 2009, que se tornou conhecida após a divulgação de fotos de parte da comitiva em uma festa portando guardanapos na cabeça. Além de Cortes e Cabral, o então secretário da Casa Civil, Régis Fichtner, estava no grupo que acompanhava o então governador e virou alvo das investigações.

Juca Bala, brasileiro que morava em Montevidéu, no Uruguai, teria começado a atuar para o esquema de Cabral quando os doleiros Renato e Marcelo Chebar - que já fecharam acordo de delação - passaram a ter dificuldades em tocar a operação do ex-governador. O motivo teria sido o aumento do volume de propina depois de 2007, quando Cabral assumiu o governo do Rio.

Os irmãos doleiros já revelaram como a organização criminosa liderada por Cabral ocultou mais de US$ 100 milhões (cerca de R$ 340 milhões) com o envio de propinas para o exterior.
Defesas

Cortes negou irregularidades durante sua gestão. 

Procurado na noite de ontem, Fichtner não se posicionou até as 21 horas. Os advogados de Cabral não responderam aos contatos da reportagem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Site UOL

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

PEZÃO CONTINUA COM BENS BLOQUEADOS PELA JUSTIÇA - ACUSADO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

STJ mantém indisponibilidade de bens de Pezão

O ministro Sergio Kukina, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), não aceitou o pedido de desbloqueio de bens feito pelo governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão. Os bens do governador foram bloqueados pela 1ª Vara Federal de Barra do Piraí, no sul do estado.

Antes da decisão do STJ, o bloqueio já tinha sido mantido pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), em ação de improbidade administrativa.

A ação apura supostos atos de improbidade praticados pelo governador quando ele ocupava o cargo de prefeito de Piraí, entre 1997 e 2001.

Edição: Lidia Neves

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

SÉRGIO CABRAL PODE TER TENTADO O SUICÍDIO EM PRESÍDIO DE BANGU


EX-GOVERNADOR INGERIU VÁRIOS COMPRIMIDOS DE UM MEDICAMENTO QUE SERIA ANSIOLÍTICO. TEVE UMA BRADICARDIA E QUEDA BRUSCA DE PRESSÃO.

DESACORDADO FOI LEVADO INICIALMENTE AO AMBULATÓRIO DA UNIDADE PRISIONAL, MAS, OS RECURSOS ALI DISPONÍVEIS NÃO ERAM SUFICIENTES PARA A GRAVIDADE DO SEU QUADRO. 

NECESSITOU ENTÃO SER TRANSFERIDO PARA UMA UPA. 

SEGUNDO INFORMAÇÕES DO BLOG, LÁ, PRECISOU RECEBER SORO, MEDICAÇÃO ESPECÍFICA, E FEZ UM ELETROCARDIOGRAMA. COM A ESTABILIZAÇÃO DO QUADRO RETORNOU AO PRESÍDIO COM A RECOMENDAÇÃO DE QUE FAÇA UMA BATERIA DE EXAMES. O EX-GOVERNADOR PASSA POR UM QUADRO DE DEPRESSÃO QUE VEM SE AGRAVANDO. 

NÃO FOSSE SOCORRIDO A TEMPO, PODERIA TER TIDO SÉRIAS COMPLICAÇÕES DO SEU ESTADO DE SAÚDE.

Sérgio Cabral desmaia e é levado para UPA de Bangu

O ex-governador Sérgio Cabral passou mal, desmaiou na cela e foi levado na segunda-feira (13) ao atendido no ambulatório da Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira. Após, foi encaminhado à UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) Dr. Hamilton Agostinho de Castro Vieira, localizada no Complexo Penitenciário de Gericinó, onde foram realizados alguns exames. 

Cabral retornou, em seguida, para a unidade prisional.

O ex-governador teria tomado uma dose excessiva de um remédio, que o deixou sonolento, mas a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) não quis comentar as causas do mal-estar e o que foi receitado pelos médicos para o ex-governador.

Os advogados de Cabral deverão pedir ao juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, nesta quarta-feira (14), autorização para que ele faça um check-up em um hospital.